sexta-feira, setembro 28, 2007

O amor dos amantes é o desejo de se fundirem numa única realidade.
A consequência imediata do amor cósmico é a dilatação dos corpos.
Qual é o elemento que não participa dessa incandescente sede de fusão?
O fogo, a água, o ar, a terra? Aos primeiros frémitos
de um carícia, uma sensação
de infinita sensualidade transporta os amantess
do fundo do ser para uma realidade absoluta
de carácter erótico - cósmico.
Adilataçao doscorpos inicia-se ao entrarem na esfera criada pelo desejo
ao contacto com o outro na sua plenitude carnal.
O fogo atravessa a floresta íntima dos corpos
e o imenso indizível do ser.
A mulher é a água que recebe o fogo e o devolve ao fogo
mas também é a terra profunda e obscura
em que germinam as raízes da vida.
Os amantes respiram o ar do paraíso perdido
partilham osfrutos da árvore proíbida, oferecida.
Cada corpo no acto de amar é uma onda de universo.
A dilatação dos corpos corresponde à instauração do espaço nas suas vidas humanas.


António Ramos Rosa

quinta-feira, setembro 06, 2007

solta.se a musica...

quarta-feira, setembro 05, 2007

Escrita

Escrevo para nós, as linhas encontram-se perdidas neste branco, sempre branco.
A página teme em não passar em frente
Escrevo para nós, sempre em sentido único.
Frente, espaço, verso.

O nosso amor transformou-se nesta escrita de caligrafia desalinhada , marcada pelo ritmo sincopado de um sonho. O nosso.

Escrevo para nós, e agora é folha que teme em não acrescentar nada de novo à história que nos fez romper horizontes.
Paro para pensar. Perco-me nos círculos do fumo, do cigarro que já não fumo.
Verifico o bico à bic .
Esta folha não é uma folha solta de um livro qualquer.
É a folha do livro do nosso amor.
E isso basta-nos, nesta escrita desigual.
Espaço, parágrafo, ponto final.


Ailéh