sábado, setembro 09, 2006

possessão

o poema me tocou
com a sua graça,
com as suas patas de pluma
com seu hálito
de brisa perfumada

o poema fez de mim
o seu cavalo
um arrepio no dorso,
um calafrio
uma dança de espelhos
e de espadas

de repente , sem aviso,
o poema como um raio
-elegbá, pomba gira!
me tocou com a sua graça

Acesso como chicote
certeiro como pedrada.

Myriam Fraga

5 comentários:

daniel sant'iago disse...

Sabe sempre bem escrever... mesmo que as palavras sejam doutros... e as façamos nossas!
Bom regresso!

daniel

al-jib disse...

dizia-te ,quando me perguntaste ,que não conhecia Miryam Fraga
.
.
.
e gostei de lê-la aqui
.
.
tem muito a ver contigo
.
bom regresso ,miúda!

um monte de bejes maduros como as uvas

al-jib disse...

troquei o i e o y
.
.
.
efeitos da dislexia
.
.
ou do sumo de Dioniso?
.
eheheheheheeh

al-jib disse...

nem uma coisa nem outra

puro despistanço!

Freyja disse...

mi querida amiga muchas gracias por tus saludos, ya estoy en casa nuevamente
te dejo mi abrazo muy grande y gracias, besitos y todo mi cariño


besos y sueños