segunda-feira, julho 31, 2006

contemplo-te

a sul

em azul céu
de mar

helios
deslumbrante

fogoso

irmão de lua
e
de aurora

contemplo-te

raio por raio
girassol
arco-irís
chama de ouro
que me arde a
alma


sol
helios

contemplo-te

no embarque
em taça dourada
viagem crepuscular.
Ailéh

5 comentários:

al-jib disse...

há um ritmo que prende a racionalidade do poema
.
.
.
gosto
.
.
porque estou em casa
.
na "minha" casa

um beijo ,miúda ,e continua
.
.
.
a ti ,o silêncio faz mal e as pausas muito pior
.
.
mas não esqueças o "joão" ( o kameloso )
.
eheheheheheheheeh

ailéh disse...

Al jib, não esqueço o joanito casei-me com ele há anos levá - lo-ei até à cova...:)))

ainda bem que gostaste ... este não passou à censura..:)))

a miúda vai crescendo e a dar uns passitos sem andarilho....
beijos

al-jib disse...

acho muito bem
.
.
.
mas cuidado!
.
.
quando os passos "andarilhos" são maiores do que as pernas ,dão azo a trambolhão certo
.
e as sequelas podem ser para toda a vida

eheheheheheeh

beijos ,miúda ,e vai em frente

( a "censura" mantém-se ,atenta ,na rectaguarda )

al-jib disse...

que queres ,são resquícios da "velha senhora"
.
.
eheheheheeh
.
beijos kamelosos

Anónimo disse...

This is very interesting site... »