sexta-feira, junho 09, 2006

acendes a paixão nas mãos e o sol madruga entre os teus dedos...
murmuras em silêncio um poema que cai em fogo sobre o meu corpo
e eu mergulho a minha taça na fonte do teu desejo
e dou-te a beber a lua
dissolvida numa lágrima que verto das estrelas...


Clara Andrade

3 comentários:

daniel sant'iago disse...

Tão clara!

daniel

Anónimo disse...

Olá Hélia, então como vais?

Nunca mais te vi. Folgo em saber que o blog ainda mostra vitalidade, é um sinal que também ;)

Beijinhos.

fox

melchom disse...

e tão escura!

( tisnada da fogueira )