quarta-feira, maio 24, 2006

Queria poder dizer-te

Queria poder dizer-te quem sou e o que realmente sou, mas não posso,
na verdade também eu não o sei.

Queria poder devolver-te o sonho que me roubaste, mas tu não podes entender essas coisas, tu pertences a outro mundo que não o meu, somos muito diferentes, tu foste educado para isso e eu nem sei para que fui educada.

Por vezes perco-me em busca de ilusões e o teu olhar já não está lá, contudo permanecemos frente a frente imóveis em busca de palavras e mais palavras sem sentido ( talvez), apenas porque ambos temos medos do espaço que fica entre o silêncio.

quando nos voltarmos a encontrar não digas que temo o silêncio só porque falo demais ou que não sei amar por te ter amado demais.

Talvez um dia o telefone não toque mais.

Talvez o espaço que fica entre a tua voz e o teu silêncio seja demasiado.

A dor da nossa perda não é mais que um sinal do nosso egoísmo, porque na realidade a perda não existe. E o medo que ainda nos resta fica submerso na dor inexistente.

Houve um dia em que pensei ser alguém, apenas par te poder dizer que também eu amo a madrugada.


Kraiene

10 comentários:

lisa disse...

Simplesmente lindoooooooooo!

Coloca mais.

Beijo.

daniel sant'iago disse...

A leitura escorreu como leite derramado...
daniel

. disse...

hoje vou vestir smoking para postar ...

kraiane deixa a saudade e o adeus respirarem fora do contexto divino, porque para ela é bem terreno o sentimento de abandono ... todavia, kraiane sabe que como deusa/mulher fica envolta na neblina da madrugada e ... ama!

sugcrasis disse...

… em busca de palavras e mais palavras, diz a Kraiene…
… medos do espaço que fica entre o silêncio, diz a Kraiene…
… temo o silêncio, diz a Kraiene…
… o espaço que fica entre a tua voz e o teu silêncio, diz a Kraiene…
Pesam de novo esses silêncios…
Pesam esses silêncios deixados nos espaços entre as palavras,
Pesam como pedras que caem certeiras e desenham perfeitas calçadas,
Pesam como frutas cheias de néctar inseguras nas frágeis ramadas,
Pesam esses silêncios, longos e duros espaços entre as palavras.
http://sugcrasis.blogspot.com/2006/02/silncios.html#links

sugcrasis

*Belynha* disse...

A incerteza é o que dói mais.
Vou recentemente postar sobre isso.

"Talvez" é uma palavra que deveria sair do dicionário.

ailéh disse...

lisa todas as cartas de kraiene são esplêndidas....



beijo

ailéh disse...

daniel... porquê como leite derramado? apetecia mais?

beijo

ailéh disse...

Caeser estás belo hoje?

kraiene cheira a saudade....para esta deusa mulher envolta em neblinas de amar e ser amada.. não escrevo mais porque tudo está dito e escrito os textos falam per si...

beijo

ailéh disse...

sugcrasis...
remetes.me para a viagem do silêncio em ...http://sugcrasis.blogspot.com/2006/02/silncios.html
eu remeto.te pra esta carta de Kraiene.. que tal?

e faço um longo silêncio e duro no espaço entre palavras.. porque está tudo dito...:))

ailéh disse...

belynha.. todas as palavras fazem falta...desde que verdadeiramente empregues ... todas devem constar dos nossos dicionários...
não existem palavras feias, belas.. existem palavras ,desnudas puras, transparentes... apenas palavras
posta sobre a incerteza na certeza que irei gostar de te ler.

beijo